Manaus, 25 de fevereiro de 2024
Professor, poeta e escritor. Fundador e presidente da Academia Itacoatiarense de Letras. Poema retirado do livro “Canções de novembro e algumas preces”, de sua autoria, e republicado na revista da Academia Amazonense de Letras nº 30, setembro 2011.

Postagens do autor

Soneto de um novembro findo

A mim me resta apenas o desejo de perecer, seguindo algum espaço, de naufragar na busca do que faço, de reviver da forma em que me vejo   um flagelo de homem de tristeza,

A Verdade Histórica

DISCURSO PROFERIDO PELO ACADÊMICO E PRESIDENTE FRANCISCO CALHEIROS POR OCASIÃO DA INAUGURAÇÃO DA SEDE PERMANENTE DA ACADEMIA ITACOATIARENSE DE LETRAS, NO DIA 15 DE NOVEMBRO DE 2013. Minhas Senhoras e Meus Senhores, Saí de

Alcides Werk: Dez anos depois

Conheci aquele homem assim que passei a morar em Manaus pelos idos de 1986. Já o lia desde o antigo ginásio e admirava suas poesias. Uma vez ganhei – na Velha Serpa – um

A Centenária castanheira

À margem da grande estrada, a imponente castanheira impõe-se sempre encantada, muito viva e verdadeira. Parece até uma luz, a proteger o caminho. Quem a olha se conduz e nunca está mais sozinho. Se

Bem-vindos, Senhores Internautas!

“O blog está bombando”. A expressão acima, embutida em recente mensagem de um jovem intelectual de Itacoatiara, nos leva a constatar que em menos de 10 meses de existência este blog realmente caiu nas