Manaus, 25 de fevereiro de 2024

A energia da Rainha

Compartilhe nas redes:

Elizabeth II visitou o Brasil em 1968. Na época eu era um garoto de 11 anos de idade. Estudava em Brasília no projeto educacional Escola Parque e Escola Classe elaborado pelo educador baiano Anísio Teixeira.

Estava programado que a Rainha visitaria a Escola Parque, onde eu era aluno. Por algum motivo a soberana inglesa foi para o Jardim da Infância da Escola Classe próxima a nossa Escola Parque. E, claro, todos nós corremos para vê-la passar acenando para o povo, como de costume. Um alvoroço total.

À noite houve um baile no Palácio do Itamaraty oferecido pelo Governo Brasileiro. Meu saudoso pai, José Lindoso, à época destacado parlamentar pelo Amazonas, foi convidado. Lembro-me de minha mãe, muito bonita. Ela usou um vestido longo azul. Feito especialmente para a ocasião.

O assunto entre os adultos era como fazer corretamente a reverência ao encontrar-se com a rainha. Para as mulheres, se faz uma pequena reverência ao encontrar a monarca, enquanto para os homens, apenas um gesto com a cabeça é o suficiente.

Houve muitos comentários sobre a visita de Elisabeth II ao Brasil. Um alpinista social brasiliense teria comprado por 2 mil dólares, de um funcionário do Itamaraty, um convite para o baile.

O Príncipe Philip sempre foi atlético e bem apessoado. Hoje as moças diriam que ele era um “gato”. Naquela época a gíria para homens bonitos era “pão”. A esposa de uma grande autoridade da época teria dito ao Príncipe: “You are a bread”. Sua Alteza obviamente não entendeu nada.

No Rio de Janeiro a Rainha foi levada até o Morro da Mangueira. As manchetes dos jornais diziam que a Rainha da Inglaterra visitava Mangueira, a Rainha do samba.

Quando a capital era no Rio de Janeiro, a Embaixada Britânica ficava num belíssimo prédio, de estilo georgiano, localizado na Rua São Clemente, em Botafogo. Com a mudança para Brasília o imóvel foi vendido nos anos 1970. Hoje funciona o Palácio da Cidade da Prefeitura do Rio. A Rainha esteve no Brasil em 1968. A nossa capital já era Brasília. O Palacete da São Clemente ainda abrigava o Consulado Britânico no Rio. Elisabeth II se hospedou por lá quando da sua estada na Cidade Maravilhosa. A equipe de segurança estranhou a conta de energia elétrica apresentada pela “Light” ao Governo de sua Majestade. Detectou-se a existência do que nós chamamos jocosamente de “gato”.

Algum carioca esperto roubou a “energia” da Rainha. Descanse em paz, Majestade.

Compartilhe nas redes:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

COLUNISTAS

COLABORADORES

Abrahim Baze

Alírio Marques