Manaus, 25 de fevereiro de 2024

Olha já! Dicionário Caboquês, de A à Z

Compartilhe nas redes:


*Floriano Ferreira da Silva

Continuação…

Q

Quentura – Diz-se da pessoa que é boa naquilo que faz, ou da pessoa que não foge de suas responsabilidades e compromissos. Ex: Pedi pra Denivalda preparar um miúdo de pirarucu salmorado com verdura, ficou discunforme já gostoso, ela é quentura na cozinha. Exemplo 2 – O Valcifran disse que vinha pro puxirum e veio mesmo, pense num cara quentura.

Qui só (que só) – Expressão que significa demasia, muito, e que geralmente faz comparativo com algo. Ex: Estelita canta qui só um sabiá. 2 – Ontem tinha gente qui só, na festa. Obs. Nota-se que as vezes há uma complementação explicita do “qui só”, porém, as vezes, esse complemento fica por conta da imaginação de cada um.

Quié? – Expressão, que geralmente denota mau-humor, utilizada para responder uma indagação. Quando um filho responde assim ao pai ou a alguém mais velho, é, ou, pelo menos era considerado desrespeito, ofensa. Ex: O pai chama o filho: – Marcelo! – Quié? – Tu te ajeita (ajeitas) curumim, responde direito pra mim senão te sento a mão na cara, te dou já um tabefe que tu vai (vais) ver só.

Quietar ou aquietar – Sossegar, agasalhar-se. Ex: Hoje tô me sentindo um pocuo mufino, vou me quietar mais cedo. Ex. 2: Te aquieta cururmim, senão tu vai já ver o Guedes.

Quilha – Parte importante na estrutura do casco de uma embarcação, que serve para manter o equilíbrio dentro d’água e facilitar as manobras. Fica disposta na parte mais baixa do plano diametral, sobre a qual são sobrepostas as cavernas, em casos das embarcações grandes. No caso das canoas a quilha é sobreposta na parte externa inferior, geralmente feita de um pedaço de tábua resistente. A canoa sem quilha é muito difícil de manobrar. A pessoa rema pra um lado e ela vai para o outro.

Quirana – Espécie de fungo que ataca os cabelos, principalmente quando eles ficam molhados e amarrados ou abafados.

R

Rabeta – Nome como é conhecido o tipo de motor de pequena potência (3 a 5 Hp) que é muito utilizado nos rios da Amazônia para impulsionar canoas. Na realidade o conjunto compreende o motor, um eixo de aproximadamente 2 metros de comprimento e uma hélice, que acoplados à popa da canoa serve para os ribeirinhos se locomoverem. Quando alguém diz: “Vou de rabeta”, é porque vai de canoa movido à motor rabeta.

Rabicho – Extensão elétrica.

Rabiola – Rabo de pipa ou papagaio. É a extensão do papagaio (pipa) para manter o equilíbrio ao ser empinado. A fim de evitar que ele fique girando em torno de si mesmo.

Rabo de arraia – Jogada de futebol equivalente à “Chilena”, isto é, jogada em que o atleta chuta, para o alto, a bola com o calcanhar.

Rala-rala – Tipo de refresco servido bem gelado (gelo picado). Há tempos a trás, alguns vendedores ambulantes pegavam uma barra de gelo e várias garrafas de concentrados artificiais de Groselha, morango, hortelã, etc. e saiam para vender. Eles tinham um utensílio parecido com uma plaina e com ela desbastavam a barra de gelo, depois o colocavam picado em um copo e sobre o mesmo derramavam o concentrado que se batizou de rala-rala. Uma delícia, sobretudo nos dias de muito calor.

Ralho – Repreenda. Carão. Chamada de atenção. Ex. Tonico, pois num é que o Zequinha, teu filho, tava já com inxirimento pro lado da minha filha. Dei logo o baita do ralho nele que de repente ele se mancou.

Rana (se pronuncia como o som do “R” de carona) – Sufixo que significa que algo não é original, legítimo ou verdadeiro. Mesmo sendo da mesma espécie, aquela planta ou fruta não é tão boa quanto à “verdadeira”. Então, as pessoas também passaram a utilizar essa expressão nesse mesmo sentido. Ex. Ingá (fruto leguminoso) que é cultivado na região amazônica. Já o ingá nativo (do mato) é chamado de Ingarana. 2 – Cana (cana-de-açúcar), nas margens dos rios da Amazônia cresce uma vegetação (capim), apreciado pelos bois e peixes-bois, muito parecido com a cana e por isso é chamada de canarana. Portanto, é comum chamar, por exemplo, irmãos que não são filhos do mesmo pai ou da mesma mãe (meio-irmão) de irmãorana.

Rancho – Cesta básica. Mantimentos. Ex: Hoje vamos a cidade comprar o nosso rancho, já que nós não ganhamos dos candidatos, o jeito é comprar.

Rapiché – Pequena rede de pescaria ou artefato de tela, que ficam dentro d’água, onde são colocados peixes recém pescados, a fim de manterem-nos vivos por algum período. Porém, mesmo vivos, as vezes ocorre que alguns peixes, logo que são mortos para serem tratados, já estão com algumas partes estragadas, ou como dizem os caboclos: moídas, devido ao fato de ficarem se debatendo. Portanto, muitas vezes, mesmo o peixe estando “vivinho”, se passou por Rapiché, necessariamente não significa que esteja bom para o consumo.

Rasgadura – Ruptura ou distensão na carne ou nos músculos. Certo tipo de contusão. Ex: Ma Rapaz, tu nem sabe! Pois num é que tordia eu dei uma escorregada lá na ribanceira, que pequei uma rasgadura na coxa esquerda, que não consigo andar direito, acho que vou pedir pra dona Mariazinha custurar e benzer, depois é só emplastar com emplasto Sabiá.

Ratada – Gafe, mancada. Pense numa ratada: o cara chamar a mulher dele por outro nome, o da amante.

Ratioflai – Ânus. Joaquim tá com uma fina daquelas que o Ratioflai dele já está mais do que ardido.

Rebanada – Solavanco que os peixes dão com a cauda (rabo).

Rebarba – Resto, sobras ou resíduos. Ex. 1 – Acordei tarde no último domingo e quando cheguei ao mercado, só já tinha a rebarba das frutas e verduras. Ex. 2 – Maninho, me atrasei dez minutos pro almoço, quando cheguei só já tinha a rebarba.

Rebojo ou Rebujo – Redemoinho de água no rio, corredeira do rio. Movimento ou refluxo da água feito pelo deslocamento (correnteza) ou mergulho de peixes grandes ou pelas palhetas (hélices) dos motores.

Rebujão – Rebojo grande.

Refega – Vento que vem de forma esporádica.

Regatão – Forma como são conhecidos os comerciantes que vendem e/ou trocam mercadorias nos rios da Amazônia. Hoje, a figura do regatão já não é tão comum no interior da Amazônia, porém, nos tempos áureos das dificuldades, em que não se tinha a facilidade que hoje se tem para comprar um motor rabeta, no tempo em que a maioria dependia da força de seus braços para remar, era muito “sacrificoso” vir até a cidade. Era nesse contexto que aparecia a figura do regatão (marreteiro). Esses comerciantes abarrotavam seus “motores” de mercadorias como: sal, açúcar, querosene, café, tecidos, roupas, istiarinas, redes, jabá, carne em conserva, lamparinas e alguns remédios como penicilina, sal de frutas, pílula da vida, óleo elétrico, leite de magnésia, jalapa, emplasto sabiá, purgantes, etc. Os regatões ou marreteiros ganhavam muito explorando o povo do interior, porque, na hora de vender as suas mercadorias elas valiam três ou quatro vezes mais do que na cidade. Na hora de pagar pelos produtos do caboclo era ao contrário, eles pagavam três a quatro vezes a menos do que venderiam na cidade. Sem contar que, alguns, ainda usavam de má fé na hora de pesar as mercadorias e produtos. Produtos vendidos ou trocados pelos caboclos: galinha, porco, juta, malva, farinha, borracha, pirarucu salgado, carnes de caças salgadas, couro de jacaré, couro de onça, cascas e essências de madeiras como sorva, pau rosa, etc. É claro, que muitos desses produtos, hoje são proibidos.

Reimoso (a) – Diz-se da comida ou bebida que ao serem consumidas podem dificultar a cicatrização de ferimentos ou favorecer o aparecimento de alergias. Algumas carnes de animais ou peixes como: anta, porco, pirarucu, pirapitinga, curimatã, etc. ou bebidas como caldo de cana, dentre outros são considerados reimosos. Ex: Olha Joaquim! Presta atenção! Não vai comer pirarucu salgado e nem carne de porco, senão tu vai (vais) ver só quanto tempo vai levar pra sarar essa tua pereba na perna.

Reinar – Malinar no sentido de agradar. Espécie de carinho um pouco violento. Ou também pode ter a conotação de sentir vontade de fazer algo violento, como reação a algo ou atitude de alguém. Ex. 1 – Eita! Que esse teu filho, Maria, é tão fofinho, tão bochechodinho, que chega a dar vontade de reinar com ele. Ex. 2 – Na hora que aquele sujeito falou que, o Caboclo é preguiçoso, me reinou de avançar nele e encher a cara dele de tapa.

Remanso – Movimento da água ou correnteza contrária a do leito do rio. O caboco diz que no remanso o rio corre pra cima. O Remanso pode ser causado por enseadas, ponta de praias, etc.

Remela – Secreção que se forma nos olhos, a partir dos pontos lacrimais.

Remelento – Aquele (a) que não lava os olhos e deixa acumular remela nos olhos. Ex: “Seu curumim remelento vá já lavar seu olho, deixe de ser imundo”, disse a professora.

Rendengue – Parte do corpo que corresponde à área dos quadris, tanto na parte anterior, quanto na posterior. Ex: Joãozinho! Ajeita esse teu calção, levanta mais um pouco, ele tá muito no rendengue, senão daqui a pouco todo mundo vai ver tuas partes íntimas.

Reparar – Tomar de conta, vigiar, olhar. – Tereza! Mana repara ainda minha panela, que eu vou ali rapidinho na taberna comprar farinha.

Continua na próxima edição…

*Floriano Arruda. Comunicador de rádio, escritor, folclorista. Natural de Urucutituba/Am. Mantém programa radiofônico semanal que interage diretamente com o público na Rádio Panorama, de Itacoatiara. Membro efetivo da Academia Itacoatiarense de Letras.

 

Compartilhe nas redes:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

COLUNISTAS

COLABORADORES

Abrahim Baze

Alírio Marques