Manaus, 25 de fevereiro de 2024

Cantoria para Eliezer

Compartilhe nas redes:

Eliezer nos deixou

no dia nove de maio

o poeta repentista

que não precisava de ensaio

fazia a letra na hora

versejava sem demora

ligeiro que nem um raio.

 

A poesia é Deus quem dá

e o que Deus dá ninguém tira

Eliezer foi um grande

cantador de sua lira

tinha seu manancial

o início, o meio e o final

com ele tava na mira.

 

Quem privou de sua amizade

hoje chora sua partida

no peito, fica a saudade

no coração, a ferida

na palavra, a oração

no olhar, a comoção

no gesto, a despedida.

 

Adeus, cantador querido

que batia qualquer tema

o seu verso ficará

ecoando como lema

a conversa bem pausada

segue agora ritmada

a pauta azul do poema.

Compartilhe nas redes:

Uma resposta

  1. Admirável reconhecimento do menestrel homenageando um repentista que tinha, na arte da embolada, o desafio da contação da história popular. Parabéns!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

COLUNISTAS

COLABORADORES

Abrahim Baze

Alírio Marques