Manaus, 29 de novembro de 2023

O Grupo Escolar Coronel Cruz

Compartilhe nas redes:

Poema recolhido da obra “Pedra Pintada (uma viagem à cidade da minha primeira infância)”, ainda inédita.

O negócio é aprender
a ler, escrever, contar,
luz que ilumine os caminhos
da vida a todo lugar,
ensine a fazer poesia,
fazer contas de somar,
dividir só se for para
fortalecer mais a soma
produto do verbo amar,
caminhar sempre pra frente
na direção de mais sol
mesmo que enfrente uma gente
cheia de rancor ao mundo
com medo de se entregar
às alvoradas dos dias
sem sombras nem arrebol,
conhecer tudo o que existe,
o fragor da inveja humana,
abrir as janelas claras
dos olhos pra todo lado,
dar no freio do poder
quando for exagerado,
juntar-se a toda mudança
que redescubra a esperança,
não se deter no que fica
sem rigorosa autocrítica.

Aprendi no Roseiral
a ler e as primeiras contas,
no Grupo Coronel Cruz
tentei não cortar as pontas
das duas forças do tempo
que sempre caminham juntas
e amenizam os atritos,

o saber do dia a dia
e o saber que vem dos livros.

Compartilhe nas redes:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

COLUNISTAS

COLABORADORES

Abrahim Baze

Alírio Marques